sexta-feira, 30 de maio de 2008

Dungeons and Dragons Quarta Edição

Antigamente, eu assistia filmes.

Hoje em dia também, mas sou mais seleto.

Uma das coisas que eu achava mais engraçado era trilogias.

Havia o filme. Aí fazia sucesso e surgia o segundo filme. Aí fazia sucesso e fazia o terceiro filme. O primeiro filme era bonzinho. O segundo até que era bom, mas está fora de época. O terceiro está realmente fora de época, mas ao menos fecha a história e isso é legal de se fazer. Aí você só assiste até o terceiro e está feliz que a história original foi atualizada mas não foi tão estragada assim.

Aí surge o quarto filme.

Esse geralmente tem um título para chamar a atenção das pessoas que achavam que a história estava no fim.

Então temos algo como "Dungeons and Dragons: a Ressurreição".

Eu já vi esse filme antes, e vocês também, mas vou explicar.

O Dungeons and Dragons primeira edição era um jogo variante dos jogos de miniatura. Utilizava os dados estranhos, mas que já existiam na época e eram muito bacanas. Esses dados diferenciava o jogo. E a aleatoriedade e a possibilidade de ser um herói também.

Depois veio a segunda edição, em que seu personagem podia se tornar mais. Mais apelativo, mais heróico. Mais complicado de aprender e jogar. Mesmo assim, você poderia destruir qualquer coisa! A idéia é legal até, só que um pouco confuso de se jogar e aprender.

Aí chega a terceira edição, numa época em que os jogos custam 130 reais (na verdade 5 reais) e você utiliza caixas quadradas ou quase quadradas, e também objetos quase retangulares com botões. O tempo de aprendizagem é de algumas horas e a vantagem é que você não precisa ler. Afinal ler é chato para o ser humano mediano normal com Inteligência 10 e Sabedoria 10.

Ok, a terceira edição é divertida, e existem regras simples que você pode fazer com que os personagens se tornem desde grandes heróis do planeta até criaturas que não evoluem nunca. É só saber lidar com a situação.

Mas mesmo assim, tem como pré-requisito Inteligência 12 e Sabedoria 12. Além de no mínimo Carisma 10. Afinal, falar hoje em dia não é tão fácil. Ler também é chato. Ler notícia na internet então? Nossa que coisa trabalhosa, difícil. Sobre um assunto estranho como RPG... nem a pau...

Esses jogos que custam 5 reais... ops quer dizer, 130 reais acabaram passando a perna. Então, na quarta edição eles aprendem a lição. Fazem um jogo que é igual a um que custa 130 reais. E detalhe. Massivo por internet. Está tentando deixar o jogo para as massas. Está igualzinho. Com um detalhe.

Você tem que ler os livros.

Eu ainda não sei como está, por que não joguei e as notícias me desanimaram. E você precisará de uma caixa retangular e fina (como é que se chama? note o quê?) para poder jogar. Afinal, é uma tentativa de atrair pessoas com sabedoria 10 ou menos. Tem características famosas de jogadores de jogos massivos por internet, como por exemplo alcance de armas e geração de ameaça. Dizem que vai ser obrigatório você matar monstros com um nível de desafio igual ao seu e em número igual ao seu grupo. O que torna o jogo... com inteligência 5.

Bem, minhas expectativas são ruins. Mas sabe como é...

Você ainda pode pegar seu videocassete e assistir aqueles filmes velhos. Se achar retrógrado demais, você pode ainda pegar seu DVD e assistir a trilogia.

A Ressurreição? Vou até que assistir uma vez. Aí quando assistir, eu digo aqui o que achei.

Mas pra ser sincero, eu gostei do A Ressurreição do GURPS. Está mais equilibrado, mais dinâmico. Mudou pouco em questão de regra. Requer Inteligência 12, 5 pontos de graduação em Concentração e Vontade +3, mas ainda interessante.

Um comentário:

PalyMaster disse...

vc não ler os jogos mmorpg pq vc joga tibia! ROFL!